Dev2 Comunicação Integrada

Acompanhe as novidadesaqui no Blog

Greve caminhoneiros afeta e-commerce


Greve caminhoneiros afeta e-commerce

O Brasil sofreu com a Greve dos Caminhoneiros. Iniciada no dia 21 de maio de 2018, se estendeu por dez dias e parou o país. A categoria exigia uma redução nos preços do óleo diesel – que subiram mais de 50% nos últimos 12 meses. A principal reivindicação era sobre os impostos que incidem sobre o combustível, como o PIS-Cofins. Eles também exigiam a fixação de uma tabela mínima para os valores de frete. A paralisação afetou incontáveis áreas e paralisou muitos serviços como fornecimento de combustíveis e distribuição de alimentos e insumos médicos, levando o país à beira do colapso.

Uma das áreas que foi fortemente afetada pela greve foi o e-commerce. Segundo a Ebit, empresa de maior referência em informações sobre o e-commerce no Brasil, reduziu em 7,4 pontos percentuais a expectativa de crescimento para o setor em maio. De acordo com a empresa, os números foram de 20,7% para 13,3% na comparação do mesmo período do ano passado, que foi de R$3,79 bilhões.

A expectativa inicial era de um faturamento de R$4,58 bilhões, que foi reduzida R$4,30 bilhões uma perda estimada de R$280 milhões. Para o número de pedidos, a projeção passou de 9,2% (9,9 milhões) para 5,6% (9,57 milhões) de crescimento.

A expectativa inicial era de um faturamento de R$4,58 bilhões, que foi reduzida R$4,30 bilhões uma perda estimada de R$280 milhões. Para o número de pedidos, a projeção passou de 9,2% (9,9 milhões) para 5,6% (9,57 milhões) de crescimento.

Segundo um levantamento da ROI Rocket, agência especializada em comércio virtual, o volume de buscas nos 10 principais sites de e-commerce atendidos por ela caiu em média 14,74% – a ROI Rocket atende lojas virtuais de segmentos diversos como moda, móveis, decoração, suplementos alimentares, artigos para casa e lazer, acessórios para carro e moto.                                                                                                                       De acordo com o diretor da agência, Cristiano Pohren, os dados são baseados em campanhas de performance como Google Adwords. “O faturamento caiu em média 49,51%, e a taxa de conversão sofreu queda de 23,36%, sendo esta última a que mais afetou nossos clientes”, disse.

« Voltar